Wednesday, July 25, 2007

CONTIGO PINTAVA A MANTA DA VIDA



"Como é possível perder-te
sem nunca te ter achado
nem na polpa dos meus dedos
se ter formado o afago
sem termos sido a cidade
nem termos rasgado pedras
sem descobrirmos a cor
nem o interior da erva.

Como é possível perder-te
sem nunca te ter achado
minha raiva de ternura
meu ódio de conhecer-te
minha alegria profunda..."


Poema de Maria Teresa Horta


6 Comments:

Blogger Jose Gonçalves said...

Minha querida amiga aramis

Não sei o que se passa, mas andamos todos numa onde de poesia... será do tempo?
Realmente o Verão não quer aparecer...
Um beijinho e espero-te no meu sitio..
José Gonçalves

9:42 AM  
Blogger Jose Gonçalves said...

Maria Teresa Horta?

Bem escolhido mas poema um pouco triste não?

José Gonçalves

9:44 AM  
Blogger aramis said...

Amigo José Gonçalves,

Dizem que não ha coincidencias...
Realmente andamos todos um pouco a precisar de deitar a poesia cá para fora. Embora não seja nossa, exprime muitas vezes o que sentimos!

Pode ser do tempo, do amor, do desamor, da procura, do encantamento, da paixão, eu sei lá!!!
Quer dizer, eu de mim sei...

Muitos beijinhos

9:59 AM  
Blogger Jose Gonçalves said...

aramis


Pois.....


JG

10:04 AM  
Blogger Maria Faia said...

Amiga Aramis,

Triste ou não, este poema da Maria Teresa Horta coloca uma questão irrefutável e que, pese embora os enganos desejados, não raras vezes bate à porta de todos nós.
A questão é mesmo - como é possível perder-te se nunca te achei? Se nunca te encontrei?!...
Muitas vezes pensamos conhecer o que, ou quem, de verdade desconhecemos.

Beijinho

8:16 AM  
Blogger aramis said...

Amiga Maria Faia,

Lendo "à letra", tem realmente razão no que diz, pois por vezes pensamos conheçer o que por vezes desconheçemos.

Lendo como poesia, para mim é como que um apelo ao encontro desejado!

Beijinhos e um optimo fim de semana para si.

8:18 AM  

Post a Comment

<< Home